quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Marina do outro lado do Planalto

A Marina Silva adotou a tática da paz e do amor, ou seja, nem sopra e nem bate. E tudo isso não é por nenhum motivo republicano, segundo bastidores e teorias da conspiração. De acordo com  os teóricos de plantão, Marina Silva estaria articulando uma estratégia com o próprio PT.
Já imaginaram a Marina Silva candidata ao GDF? Pois é, especulações e teorias conspiratórias indicam que a candidata pode ser a saída do PT para o DF. O PT teme perder as eleições em 2014.
O senador Cristovam Buarque e o deputado José Reguffe fariam parte do pacote. O que a Marina Silva ganharia com isso? A possibilidade de ser candidata a Presidência da República com chances reais em 2018. Só precisamos saber onde a ex-seringueira desembacar?
Quem viver verá!
Fonte: Redação

Na Câmara Legislativa Filippelli lidera

Na Câmara Legislativa dois assuntos tomam conta das conversas de corredores. Um dos temas é o tumultuado processo de cassação de Raad Massouh (PPL).  Mais que natural. Mas, o centro de todas as atenções é o iminente rompimento entre o governador Agnelo Queiroz e o vice-governador Tadeu Filippelli.  Na Câmara, Filippelli tem muito mais influência que Agnelo. Além ser mais próximo dos distritais. Um dos parlamentares que é bem influente ( bota influente nisso)  com o vice-governador deixou escapar em voz alta. “A chance de haver um rompimento entre o vice-governador Tadeu Filippelli e o governador Agnelo é de 95%.”
Está dito.
Fonte: Redação 

DE MÃOS DADAS 'Luiz Pitiman & Aécio Neves'

De saída do PMDB, o deputado federal Luiz Pitiman teve uma conversa animada ontem com o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra. Mas o bate-bapo ainda não foi suficiente para selar a migração de Pitiman para o ninho dos tucanos.
O deputado do DF prometeu apoio incondicional à candidatura de Aécio Neves à Presidência da República e contou a Guerra que estuda convites para o PP e para o PSD. Pitiman está disposto a participar de caminhadas com tucanos pelo DF .

De preferência, em locais carentes e com grande densidade eleitoral, como Porto Rico e Sol Nascente.
Fonte: Correio Braziliense - Eixo Capital.